// Rede de fornecedores: O que avaliar na hora de escolher

Como escolher a melhor rede de fornecedores para a empresa?

Quais elementos devem orientar a escolha?

Essas reocupações são recorrentes no dia a dia do empreendedor.

Ganha cada vez mais importância o esforço para garantir as melhores condições de abastecimento de insumos e matérias-primas, pois dele depende o sucesso do negócio.

Antes de definir o tipo ideal de rede, o empreendedor deve atentar para a sua composição.

Os fornecedores que a integram precisam atender a alguns requisitos básicos.

Tantos cuidados visam a minimizar o risco de problemas na produção.

Elementos como pontualidade na entrega, qualidade do insumo ou matéria-prima, preço, imagem do fornecedor no mercado, valor que ele agrega ao produto e transparência nas informações auxiliam o gestor na hora de montar a sua rede de fornecedores.

A rede de fornecedores estabelece o vínculo comercial entre o comprador e as empresas ou indivíduos responsáveis pelo abastecimento de insumos e matérias-primas.

Ela desempenha papel estratégico no gerenciamento de despesas ao reduzir custos com aquisição de itens e incentivar a emissão de pedidos de compras e faturas com o uso de meios eletrônicos.

As empresas aproveitam as redes de fornecedores e vão além das operações “procure to pay”.

Dessa forma, ampliam o alcance das ações no processo de integração B2B (business to business).

Outra vantagem reside na possibilidade de detectar oportunidades no mercado e identificar potenciais fornecedores.

A avaliação da melhor opção de rede de fornecedores deve levar em conta suas funções e tipos específicos. No primeiro aspecto, destacam-se:

  • Gerenciar informações e descobrir potenciais fornecedores.
  • Administrar catálogos de insumos e matérias-primas disponíveis.
  • Vincular os fornecedores por meio de um padrão comum.
  • Estabelecer a transmissão eletrônica de documentos (faturas, ordens de compras etc).
  • Integrar-se a uma plataforma de gerenciamento de despesas, e-Procurement ou compras.
  • Processar pagamentos e recebimentos de faturas por meio eletrônico.
  • Aprimorar processos como, por exemplo, o fornecimento estratégico ou o gerenciamento de fornecedores.
  • Compartilhar informações não relacionadas à área operacional, como documentação de seguros, guias fiscais ou certificações diversas.

Já com relação aos tipos, as redes de fornecedores podem ser classificadas de diversas maneiras, tais como, rede social de negócios, portal de fornecedores do proprietário e consórcio com foco vertical.

 

Fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/tecnologia/rede-de-fornecedores-o-que-avaliar-na-hora-de-escolher/100076/

Posts Selecionados

Você consegue acompanhar seus pedidos de compra?  Univali é a 42ª maior organização de Santa Catarina Oito tendências de tecnologia e negócios para 2017

Mais vistos

Especialistas mais procurados durante a crise  A importância da função de compras nas organizações Processo de Follow up no sistema de compras

Receba notícias